1 novembro 2016
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

IMG_20160911_134050212Em uma roda de amigos discutíamos sobre os motivos que levam um relacionamento ao fim.  A primeira ideia que vem a mente das pessoas é ligar o término à traição, como se trair fosse o único motivo para duas pessoas se separarem. Eu já acredito que há um motivo muito maior e muito mais grave do que trair: o amor acabar. Sempre pensei que ele fosse infinito. Porém, ele é infinito apenas enquanto dura, o poeta acertou bem quando o definiu assim. Penso também que ele se transforma, não desaparece completamente. Fica o carinho, respeito, admiração, que também são formas de amor.

 Mas aquele amor do desejo de estar junto, de não se imaginar sem a pessoa na vida, morre. Tem prazo de duração. E o pior de tudo, não há uma explicação. Acontece.  De um dia para o outro, sem aviso prévio, você acorda e ele já se foi. Não está mais lá, aonde costumava habitar. É triste, doí na alma. Você busca razões e não as encontra. E então vem o pior sentimento de todos, a culpa.

Culpa por ter o deixado o amor ir sem ao menos notar a sua partida. Culpa por não amar mais.  Pergunto-me incansavelmente procurando uma resposta: Para onde ele foi?  Vejo-o representado em fotos, textos e recordações de forma tão intensa. Era tanto amor. O mesmo amor que nos fez ficar juntos por tanto tempo, sem nos informar, ele foi embora. Nem um bilhetinho deixou. Nem ao menos nos perguntou, se queríamos que ele ficasse para sempre.

Comments

comments

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

IMG_20160911_134050212Em uma roda de amigos discutíamos sobre os motivos que levam um relacionamento ao fim.  A primeira ideia que vem a mente das pessoas é ligar o término à traição, como se trair fosse o único motivo para duas pessoas se separarem. Eu já acredito que há um motivo muito maior e muito mais grave do que trair: o amor acabar. Sempre pensei que ele fosse infinito. Porém, ele é infinito apenas enquanto dura, o poeta acertou bem quando o definiu assim. Penso também que ele se transforma, não desaparece completamente. Fica o carinho, respeito, admiração, que também são formas de amor.

 Mas aquele amor do desejo de estar junto, de não se imaginar sem a pessoa na vida, morre. Tem prazo de duração. E o pior de tudo, não há uma explicação. Acontece.  De um dia para o outro, sem aviso prévio, você acorda e ele já se foi. Não está mais lá, aonde costumava habitar. É triste, doí na alma. Você busca razões e não as encontra. E então vem o pior sentimento de todos, a culpa.

Culpa por ter o deixado o amor ir sem ao menos notar a sua partida. Culpa por não amar mais.  Pergunto-me incansavelmente procurando uma resposta: Para onde ele foi?  Vejo-o representado em fotos, textos e recordações de forma tão intensa. Era tanto amor. O mesmo amor que nos fez ficar juntos por tanto tempo, sem nos informar, ele foi embora. Nem um bilhetinho deixou. Nem ao menos nos perguntou, se queríamos que ele ficasse para sempre.

Comments

comments



Comentários


Deixe seu comentário:

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×