3 março 2015
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
7c8ec06f6c434cc207bed4921cdc4d58Dream On Art Print by Christian Schloe

Lendo o blog Feliz com vida da Fê Neute, que aborda um tema muito importante para a vida: A felicidade. Esse é um assunto que sempre mexeu muito comigo. Desde pequena tenho muito curiosidade sobre as pessoas, em tentar ver além do que mostra as aparências. E constantemente me pergunto se tal pessoa é realmente feliz. Só que felicidade é muito subjetiva. Ela se apresenta de inúmeras formas. Há pessoas que são felizes quando acumulam bens, há quem encontre a felicidade nas ocasiões mais simples da vida.

E eu pergunto a você, o que te faz realmente feliz?

Será que temos a plena consciência do que nos faz bem? Acredito que a felicidade está ligada muito ao autoconhecimento. Ás vezes, pesamos que nossa felicidade esteja em determinada direção. Então, precisamos passar por todo o processo para saber que no fundo seriamos mais felizes se tivéssemos escolhido outro caminho. É, por isso, que muitas pessoas largam carreiras bem sucedidas para se aventura em algo novo. Quem vê de fora julga ser loucura, mas para mim, loucura maior é quem reclama o tempo todo da vida que tem. E, sinceramente, nunca vou entender esse tipo de pessoa. Tenho muitos amigos assim. Você, com certeza, deve conhecer muitas pessoas que são desta forma.

Sim, entendo que há quem não tenha escolha, mas muita gente tem. Somos nós que escolhemos o que queremos ser e onde queremos chegar. É fácil? Não, não é. Mas o mundo é cheio de oportunidades incríveis. Só precisamos sair da nossa zona de conforto. E essa coragem, infelizmente, é para poucos.

Lembro-me muito bem quando fui morar em São Paulo, em busca de ser uma jornalista reconhecida. Esse era o meu plano para ser feliz. Ter uma carreira bem sucedida e ser alguém importante neste mundo de meu Deus. Tive que viver essa experiência para entender que não era bem isso que iria, realmente, me fazer feliz. Descobri que uma vida mais simples e com as pessoas que amo por perto, era o que me fazia bem de verdade.

Mas tudo é uma construção, uma busca interna e sincera. Digo sincera porque, muitas vezes, escolhemos modelos prontos de felicidade. Caminhos que o mundo nos apresenta, como, por exemplo, ganhar muito dinheiro, morar numa bela casa e dirigir o último lançamento automobilístico. Sim, isto é a plena felicidade para uns. Mas conheço pessoas que possuem dinheiro para rasgar, e não são felizes. Então como você explica isso?

Escrevo este texto para te fazer pensar, pois quase nunca paramos para pensar na nossa real felicidade. Vamos seguindo padrões impostos, e acreditando que não há outras opções de vida. Meu conselho é, seguindo um caminho clichê ou fora do comum, busque o seu bem estar. Busque aquele lugar no mundo onde você sinta que é seu.

Comments

comments

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
7c8ec06f6c434cc207bed4921cdc4d58Dream On Art Print by Christian Schloe

Lendo o blog Feliz com vida da Fê Neute, que aborda um tema muito importante para a vida: A felicidade. Esse é um assunto que sempre mexeu muito comigo. Desde pequena tenho muito curiosidade sobre as pessoas, em tentar ver além do que mostra as aparências. E constantemente me pergunto se tal pessoa é realmente feliz. Só que felicidade é muito subjetiva. Ela se apresenta de inúmeras formas. Há pessoas que são felizes quando acumulam bens, há quem encontre a felicidade nas ocasiões mais simples da vida.

E eu pergunto a você, o que te faz realmente feliz?

Será que temos a plena consciência do que nos faz bem? Acredito que a felicidade está ligada muito ao autoconhecimento. Ás vezes, pesamos que nossa felicidade esteja em determinada direção. Então, precisamos passar por todo o processo para saber que no fundo seriamos mais felizes se tivéssemos escolhido outro caminho. É, por isso, que muitas pessoas largam carreiras bem sucedidas para se aventura em algo novo. Quem vê de fora julga ser loucura, mas para mim, loucura maior é quem reclama o tempo todo da vida que tem. E, sinceramente, nunca vou entender esse tipo de pessoa. Tenho muitos amigos assim. Você, com certeza, deve conhecer muitas pessoas que são desta forma.

Sim, entendo que há quem não tenha escolha, mas muita gente tem. Somos nós que escolhemos o que queremos ser e onde queremos chegar. É fácil? Não, não é. Mas o mundo é cheio de oportunidades incríveis. Só precisamos sair da nossa zona de conforto. E essa coragem, infelizmente, é para poucos.

Lembro-me muito bem quando fui morar em São Paulo, em busca de ser uma jornalista reconhecida. Esse era o meu plano para ser feliz. Ter uma carreira bem sucedida e ser alguém importante neste mundo de meu Deus. Tive que viver essa experiência para entender que não era bem isso que iria, realmente, me fazer feliz. Descobri que uma vida mais simples e com as pessoas que amo por perto, era o que me fazia bem de verdade.

Mas tudo é uma construção, uma busca interna e sincera. Digo sincera porque, muitas vezes, escolhemos modelos prontos de felicidade. Caminhos que o mundo nos apresenta, como, por exemplo, ganhar muito dinheiro, morar numa bela casa e dirigir o último lançamento automobilístico. Sim, isto é a plena felicidade para uns. Mas conheço pessoas que possuem dinheiro para rasgar, e não são felizes. Então como você explica isso?

Escrevo este texto para te fazer pensar, pois quase nunca paramos para pensar na nossa real felicidade. Vamos seguindo padrões impostos, e acreditando que não há outras opções de vida. Meu conselho é, seguindo um caminho clichê ou fora do comum, busque o seu bem estar. Busque aquele lugar no mundo onde você sinta que é seu.

Comments

comments



Comentários


Deixe seu comentário:

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×