5 maio 2015

edi3Faltam tantos post da viagem ainda, que daqui a pouco vai fazer uma ano que fui e não contei tudo para vocês. O que acontece é que são muitas fotos para selecionar e editar, e uma postagem como a de hoje -mil fotos vocês vão ver- acaba levando quase um dia inteiro. Mas vou deixar a preguiça de lado e agilizar o processo, afinal, falta o post mais querido de todos, do meu sonho de conhecer o parque do Harry Potter realizado.

Voltando o assunto de hoje, do dia que fomos passar o dia no Parque Alfred, foi um daqueles dias felizes, que você nem acredita que está em um lugar tão perfeito. Fica na cidade de Tallahassee mesmo, mas é bem longe, uns 40 minutos de ônibus da universidade. Mas valeu muito a pena, o lugar é incrível, de uma natureza impecável. Era a primeira vez da minha irmã no parque também, e ela ficou arrependida de não ter o visitado antes.

edi2 edi9O mais engraçado foi quando chegamos a pé, porque nos  Estados Unidos todo mundo tem carro, a mulher que estava na entrada do parque perguntou se íamos mesmo andando. Ela informou que o parque era grande e para chegar até o lago era longe. Na hora bateu um desanimo, mas fomos andando mesmo assim, afinal, não tínhamos outra opção. E americano realmente não anda a pé, porque depois de uns 20 minutos super agradáveis chegamos ao lago.
edi14edi15edi16Encontramos estas mesas de madeira, e fizemos um mini piquenique no meio da natureza e de muitos esquilos.
edi4 A história desse balão foi super engraçada, para quem não sabe eles são caríssimos aqui no Brasil, mas lá eles custam um dólar. A irmã sabe que adoro balões -não tive infância- e comprou esse para mim. E fiquei mesmo igual a criança, em quase todas as fotos eu estou com ele. rs
edi19 edi26 mont3 O lugar é tão bonito que muitos casamentos são realizados no parque. No dia,  vimos noivos que acabaram de confirmar os votos. Fiz uma foto deles, mas saiu muito tremida para postar. Uma pena!
edi6Olha esse lugar, perfeito para um  casamento com poucos convidados. Desejei muito que este parque fosse em BH, iria me casar nele com certeza.
edi7
Empolgamos tanto com o cenário que até simulamos um casamento com um casal de amigos da irmã. Gravamos um vídeo que ficou hilário, eu era a mãe da noiva.
edi27   edi8  edi10 edi11edi5 edi12 edi13Foi um dia feliz e de muito frio que ficará guardado na memória!

Para quem perdeu alguma parte do Diário USA aqui:

Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4

edi1

Faltam tantos post da viagem ainda, que daqui a pouco vai fazer uma ano que fui e não contei tudo para vocês. O que acontece é que são muitas fotos para selecionar e editar, e uma postagem como a de hoje -mil fotos vocês vão ver- acaba levando quase um dia inteiro. Mas vou deixar […]

Leia mais



5 março 2015

TallyJá mencionei um pouco sobre Tallahassee nos meus últimos posts da viagem, mas ela merecia um espacinho só dela aqui no blog. Como contei, passei três semanas na cidade, tempo suficiente para me apaixonar. Ela não é uma grande metrópole, é um lugar tranquilo e cheio de casinhas simpáticas. E mesmo sendo uma cidade pequena, Tallahassee é a capital da Flórida. Isso mesmo, não é Miami não, como todo mundo pensa.
IMG_7094kkCom apenas 180 mil habitantes é um lugar calmo, mas ao mesmo tempo agitado. Já que 80 mil dos habitantes são estudantes universitários. A minha irmã foi morar lá devido à universidade. E para atender a demanda de estudantes há muitos restaurantes, bares e boates. As grandes franquias de restaurantes dos Estados Unidos também estão presentes, como o Taco Bell, Dunkin’Donuts, Outback, Pizaa Hut, Mc’Donalds, entre outras.  As grandes franquias de vestuário também estão na cidade.

São apenas dois shoppings em Tallahassee, mas possuem lojas como Forever 21, H&M e Sephora. Quem precisa de mais? rs

PicMonkey CollageDiferentes de cidades pequenas do Brasil, nos Estados Unidos as cidades menores possuem quase tudo que encontramos em uma grande metrópole. O lado bom é que dá para morar em um lugar tranquilo e encontrar de tudo, de produtos de conveniência a opções para o lazer.
ssIMG_1317IMG_1318*Um dos museus da cidade! 

O centro é bem simpático, com avenidas largas e muitas árvores. Mas senti falta do nosso comércio de rua, lá parece que os estabelecimentos estão sempre fechados. Você também não vê quase ninguém andando pelas ruas. Isso é muito esquisito! A maioria dos habitantes de Tallahassee e dos EUA andam de carro, e devido a essa realidade muitas cidades não foram estruturadas para os pedestres. Você pode andar por um passeio e de repente a calçada acabar e se transformar em uma autopista. E o pior de tudo, sem faixa de pedestre para você atravessar. Um caos!

No centro há também alguns hotéis grandes, pois a cidade fica bastante movimentada nos finais de semana em que os jogos acontecem.

IMG_1050
*A praça principal com luzes de natal!
IMG_1064*Foto do centro à noite em dias de jogos!

Um dos marcos da cidade é esta fonte de golfinhos. De perto ela é incrivelmente linda, no prédio fica localizada a sede do governo.
IMG_1330IMG_1376No dia que fomos ao centro fotografar pegamos este pôr do sol maravilhoso. Minha pequena temporada em Tally já deixou saudades!

Para quem perdeu alguma parte do diário de viagens:

Parte 1
Parte 2
Parte 3

IMG_1317

Já mencionei um pouco sobre Tallahassee nos meus últimos posts da viagem, mas ela merecia um espacinho só dela aqui no blog. Como contei, passei três semanas na cidade, tempo suficiente para me apaixonar. Ela não é uma grande metrópole, é um lugar tranquilo e cheio de casinhas simpáticas. E mesmo sendo uma cidade pequena, […]

Leia mais



3 fevereiro 2015

1Fiquei quatro semanas nos Estados Unidos, três delas passei na cidade da minha irmã. E como ela ainda estava no período de aula, não viajamos para outros lugares. Só na última semana que conseguimos viajar para Orlando e Miami. Nós até pensamos em fazer pequenas viagens nos finais de semana, mas acabaram não dando certo. Mas no fundo achei bom, amei o tempo que passei em Tallahassee. Se me perguntassem se voltaria para passar um por tempo lá, minha resposta seria: SIM. rs E enquanto minha irmã estudava, eu passeava sozinha por ai.

Claro, só ia para lugares mais perto de casa, pois meu celular não pegava na rua. Só conseguia conectar na internet com Wi-Fi. Imagina ficar perdida para sempre naquela cidade? #souexagerada

É muito ruim não saber falar a língua local, não conseguir pedir qualquer informação, é péssimo. Graças a Deus lá tinha muitos brasileiros, e ai deu para bater uns papos com outras pessoas, além da irmã. rs Mas cheguei a conclusão que preciso aprender o inglês urgente.
14E uns dos primeiros lugares que conheci e me encantei, foi a trilha que passa ao lado do prédio da Bella. Ela não é muito extensa, deve dar uns 2 quilômetros só. E no período que estive na cidade sempre passava pela trilha em algum horário do dia. E a cada dia me encantava mais. Desejei muito ter uma trilha assim pertinho de casa viu?!
86 7 9Todos os dias em todos os horários via gente correndo por lá, o engraçado é que várias dessas pessoas (que nunca vi na vida) me cumprimentavam. Perguntei para a Bella depois, e ela me disse que aqui é assim. As pessoas na rua cumprimentam quem elas não conhecem por EDUCAÇÃO. Acreditem se quiserem?! rs É uma coisa bacana, mas depois de um tempo eu confesso que cansa. Imagina sair cumprimentando todo mundo? Já tenho preguiça de fazer isso com os meus vizinhos. Kkkk
16Em toda a trilha tem esses postes onde você pode pedir ajuda em situação de emergência. Os americanos são fissurados em segurança ( o que não é algo ruim).
No caminho encontrei borboletas e esquilos. Pode falar, não ficaram lindas minhas fotos das borboletas? Foi um desafio tirá-las. rs
13 12 11 10Dá para sentir o clima dos lugar pelas fotos? Muitas árvores, muito verde e muito silêncio. Uma paz.  Deve ser uma delícia morar em uma dessas casinhas que ficam na trilha.
4 2 Não há cercas e nem grades. Uma realidade realmente muito distante do Brasil.
O final da trilha dá no estádio de futebol que contei (aqui).

Beijos, beijos

3

Fiquei quatro semanas nos Estados Unidos, três delas passei na cidade da minha irmã. E como ela ainda estava no período de aula, não viajamos para outros lugares. Só na última semana que conseguimos viajar para Orlando e Miami. Nós até pensamos em fazer pequenas viagens nos finais de semana, mas acabaram não dando certo. […]

Leia mais



5 novembro 2014

IMG_5164[1] *Foto: Conhecendo a The Flórida State University. Vou fazer um post só da universidade, que é linda.

Oi gente,  cheguei bem! Para quem não sabe, viajei para os EUA no último sábado. Estou planejando essa viagem há mais de um ano, desde que a irmã se mudou para cá. Mas por estar trabalhando demais, consegui vir quando ela já está quase voltando para o Brasil. Ela volta mês que vem. Porém, ela achou até bom, pois iria sofrer muito quando eu fosse embora.

aero - Copy *Foto: Minhas mil horas de espera no aeroporto. Li quase dois livros no Ipad! 

Vou ficar um mês por aqui, e estou encantada com tudo. Já viajei por diversos lugares dentro do Brasil e para a Argentina e o Paraguai, mas acho que nada se compara. É tudo muito diferente, parece que estou inserida em um filme americano, a minha ficha ainda não caiu. E por ser um país do primeiro mundo, dá para ver a nítida diferença na qualidade de vida. Fiquei pensando muito no Brasil desde que cheguei, tínhamos tudo para ser assim também. Mas ainda tenho esperanças que as coisas irão mudar, e que um dia ainda seremos uma grande potência.

aero2 *Foto: Depois de  dez horas de voo, estava louca por um café quentinho. Fui na Starbucks, pagar de rica e descolada no aeroporto de Miami. rs Mas dei bobeira, aqui também é caro e lá se foram alguns doláres. hahaha  

aero3 *Foto: Já posso ser guia do aeroporto de Miami, fiquei mofando por lá 5 horas. Conheci todas as lojinhas. 

A viagem foi muito cansativa, e confesso que estava morrendo de medo. Não sou uma pessoa medrosa, mas o fato de não saber o inglês me desesperou um pouco. Imagina ficar perdida e não saber perguntar nada? Ainda por cima, depois de nove horas de viagem até Miami, passar pela imigração, eu ainda teria que pegar DOIS ônibus para a cidade da minha irmã. Tudo isso sozinha, eu e Deus, e  nenhum vocabulário local. rs

No final tudo deu certo, a minha saga para chegar até Tallahasse foi melhor do que eu imaginava. Escrevi esse textinho no facebook e muitos amigos gostaram. Então vou colocar aqui para vocês também.

“Acredito que o mais magnífico da experiência de viajar, seja a possibilidade de conhecer novas pessoas e histórias de vidas. Nesta minhas 10 horas de voo e 5 horas de espera no aeroporto sozinha, já tenho muitos casos para contar. No voo até o Rio de Janeiro conheci uma cabeleireira de Belo Horizonte que mora há 15 anos em Nova York. Ela viajou pela primeira vez para a cidade com o objetivo de visitar uma  feira especializada em cabelos, mas acabou encontrando o amor da sua vida  e nunca mais voltou a morar no Brasil. Contei para ela sobre a minha vontade de morar em NY por uns tempos, ela então me explicou em detalhes como é a vida por lá. Falou também da saudades dos filhos que deixou no Brasil.  Já as nove horas de voo até Miami passaram super rápido. Conheci uma carioca gente boa demais, ela me contou um pouco da sua história e eu dividi um pouco da minha. Ela me ajudou a pedir os lanches no avião, e na hora da imigração disse para eu passar na sua frente na fila e se tivesse algum problema poderia chamá-la. Um amor! Na imigração já fui com as perguntas certas na cabeça, mas quando o moço me fez a primeira pergunta, não pesquei nenhuma palavra. Então ele perguntou se eu falava inglês . Disse não. Pensei estou frita! rs E ai eu perguntei se ele falava espanhol, ele respondeu que não falava espanhol em espanhol. E ai eu disse: Peraí, você está falando em espanhol. Ele riu, me contou que era do Haiti e que estava há 10 anos no Us.  E que falava quatro línguas. No final,  eu já estava fazendo mil perguntas para ele, e o papo está para lá de informal. Só tinha uma fila enorme olhando para a gente sem saber por qual motivo estávamos rindo. Já nas minhas cinco horas de espera do aeroporto conheci um médico colombiano, de Barranquilla. ( Alô Shakira!)  Imagino que já devia ter  lá os seus quase setenta anos. Conversamos em espanhol, sobre jornalismo e o Brasil. Ele disse que eu falava muito bem o espanhol ( ganhei o dia,  viu Matheus?) , mas contei a minha dificuldade com o inglês. Ele perguntou a minha idade, eu disse que tinha 26. Então me aconselhou a ler muito, e a tentar me informar da melhor maneira possível sempre. Disse que  eu ainda era muito nova e me recomendou os livros de Gabriel Garcia Márquez. E completou: Apesar de já ter um diploma, você  ainda está em processo de formação. Tenho certeza que com uns 32 anos você será uma jornalista incrível. Você está no caminho certo! Não sei bem o porquê ele disse aquilo, mas  suas falas me deixaram contente de verdade. Agradeci, apertei a sua mão e fui pegar o meu ônibus para Orlando. A minha viagem nem começou, mas já é muito bom saber que no mundo existe tanta gente interessante e do bem.”

foto1*Fotos: Depois de viajar mais 3 horas para Orlando, fiquei esperando mais 3 horas para pegar o busão para Tallahassee. Estava faminta, então fui procurar um rango. Achei o velho conhecido e extinto Pizza Hut. Entrei, olhei no cardápio e não sabia o que pedir. Falei para a atendente “Small Pizza Pepperoni”  e deu tudo certo. Porém lembrei que não gosto de pepperoni kkkk só que foi o único sabor que reconheci no cardápio.

foto2 *Foto: Minha pizza de pepperoni. rs Veio pingando óleo, como tudo aqui, mas estava gostosa.

foto4 Cheguei em Tallahassee uma hora da manhã, foram quase 30 horas de viagem. Desci do bus e estava fazendo UM grau. Genteee isso é muitoooo frio!! Meu corpo tremia todo, não conseguia controlar, mas ainda bem que peguei o táxi rápido. Chegando na casa da Bella foi muita emoção, não parecia que era real. Ela não mudou nada em um ano, apesar dela achar que engordou muito. kkk Conversamos até quatro horas da manhã. Conheci também os seus amigos do Brasil. Ela fez uma jantinha para mim e tudo foi muito legal.

Bom, acho que vou conseguir postar com uma certa frequência daqui, pois como são três horas de diferença, estou acordando todos os dias SEIS horas da manhã. Em casa sou acostumada a acordar às oito. O que aqui seria às cinco horas, mas ai fico uma hora enrolando na cama e depois levanto. Espero que isso se regularize, pois de noite já estou morrendo de sono. E enquanto a irmã não acorda eu escrevo. 

Tenho mil ideias de posts para vocês, e espero que vocês gostem dos meus relatos malucos.

No próximo post prometo fotos melhores, essas foram feitas pelo celular.  Grande beijo 

aero2

*Foto: Conhecendo a The Flórida State University. Vou fazer um post só da universidade, que é linda. Oi gente,  cheguei bem! Para quem não sabe, viajei para os EUA no último sábado. Estou planejando essa viagem há mais de um ano, desde que a irmã se mudou para cá. Mas por estar trabalhando demais, consegui […]

Leia mais



2 junho 2014

Que bloguito mais abandonado!  E a minha explicação é sempre a mesma: estou trabalhando muito. O jornal é como um filho para mim, ele precisa de cuidados diários e nunca sobra tempo para mais nada. E nem criatividade, para ser sincera!
foto

(Foto: Tia Arlete, minha mãe e eu no avião)

Há duas semanas fui para São Paulo para tirar meu visto americano (Irmã ai vou eu!!),  aproveitei para ver a família e visitar alguns lugares. Fiz check-in no facebook nos lugares em que passei, como a Forever21 e a 25 de Março. E ai muita gente veio me perguntar sobre esses dois lugares, então resolvi fazer uma lista de quatro lugares que eu gosto muito na cidade, e quem nunca visitou SP deve conhecer.

25 de Maio
mot 3

Tinha que começar pela 25, claro.  Lá é um lugar muito engraçado, porque divide opiniões, têm pessoas que detestam e têm pessoas que amam como eu (\o/). Quem não curte uma muvuca, muita gente e confusão, por favor, não vá a 25 de Março.  Tudo é muito bagunçado e misturado, tem comércio em barracas no meio da rua e têm lojas mais sofisticadas. Dá de tudo um pouco mesmo. O que podemos encontrar por lá? Muitas bijuterias, e dos mais variados preços. Você encontra coisas muito baratinhas, como brinco de festa por 7 reais, mas pode encontrar também por 70 reais. Depende muito da loja.  Uma coisa que eu faço é entrar sempre em muitas lojas antes de comprar, faço uma pesquisa rápida. Claro, se você for com tempo, mas se encontrar algo barato compra logo, porque voltar e achar o mesmo brinco é quase missão impossível. A pesquisa é mais de preço, quando encontro uma loja com itens bonitos e com preço bom, já fico por lá. Mas vale a visita para conhecer, mesmo se seu interesse não for comprar. Do lado da 25 também está o bairro Santa Efigênia, famoso por vender eletrônicos baratos (Tipo nosso shopping Oi) e o Mercado Municipal, onde vale dar um voltinha também.

Parque Ibirapuera

mont

Este passeio é para quem curte a natureza, é o pulmão da cidade de São Paulo. Um espaço muito agradável, onde podemos encontrar muita gente fazendo esportes ao ar livre. Há também pistas de corrida, para quem está na onda de correr. O bom que existe percursos de diversos tamanhos, para quem está iniciando e para quem já corre maratonas. No parque você também pode alugar bicicletas e, quem curte fazer fotos, lá é um lindo cenário para uns clicks.

Avenida Paulista
mot 2

Este lugar me causa suspiros, amo a Paulista. É uma avenida da cidade onde encontramos as maiores empresas do mundo. Muitos arranha-céus, dá para ficar encantada pelos prédios gigantes. Na local há muitas lojas, restaurantes, museus e cafés. É como se fosse um shopping ao ar livre. O mais legal da avenida é que você encontra pessoas de todos os jeitos e tribos. Há executivos correndo para baixo e para cima, pessoas bem vestidas, que eu sempre ficava imaginando em que multinacional essas pessoas tão engomadas trabalhavam. rs Você vê também muita galera andando de patins, de skate, pessoas fazendo apresentação de danças, artistas. A noite a Paulista se torna um ponto boêmio da cidade.  Trabalhei  poucos meses a um quarteirão da avenida, era um lugar onde eu adorava fazer caminhadas para pensar na vida. Naquela época estava muito perdida, então andei muito na Paulista. Acredito que é um passeio divertido, tanto de dia como de noite.

Higienópolis e Pizzaria Vica Pota
photo2 (1) photo3

photo4

Já falei de um restaurante de SP (aqui), mas não conheço muitos na cidade não. A pizzaria Vica Pota foi onde um primo meu casou. As pizza são deliciosas e o lugar é um charme. Conheci em outubro do ano passado quando fui para o casório e voltei lá desta vez também. Antes o lugar funcionava só à noite, mas agora eles estão oferecendo também almoço aos finais de semana. Fomos almoçar no sábado e acabamos ficando a tarde toda. No lugar tem uma varanda que dá vista para o parque Buenos Aires, o que deixa o ambiente bem agradável. A Vica Pota recebe também muitos artistas e famosos por estar em um bairro nobre da cidade. E quem vai ao restaurante vale a pena dar uma voltinha pelo bairro, fiquei fascinada a primeira vez que passei por Higienópolis. A igreja que meus primos casaram também está no bairro, e é uma das mais bonitas que já conheci.

Espero que gostem das minhas dicas!

beijos, beijos

 

GRAF SÃO PAULO/SP 24/07/2012 GRAFITE PAULISTA GERAL JT ESPECIAL EMBARGADO - Um grafite está sendo pintado na lateral de um prédio que fica na Av. Paulista esquina com a Av. Brigadeiro Luis Antonio.

Que bloguito mais abandonado!  E a minha explicação é sempre a mesma: estou trabalhando muito. O jornal é como um filho para mim, ele precisa de cuidados diários e nunca sobra tempo para mais nada. E nem criatividade, para ser sincera! (Foto: Tia Arlete, minha mãe e eu no avião) Há duas semanas fui para […]

Leia mais



22 setembro 2013

Sumi de novo daqui, velha conversa de sempre, estou sem tempo. Estava também esses dias sem mãe, minha pós está cada dia apertando mais, estou recebendo visitas em casa e meu carro quebrou essa semana. Já viu tudo né? Pensei até em parar de escrever por aqui, mas pensei melhor e vou postar quando eu conseguir tempo.

Minha tia da Argentina veio passar uma semana aqui em casa e trouxe uma amiga também, decidimos então ir passear em Ouro Preto neste sábado. Para quem não conhece é uma cidade história que já é Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade, fica a 100 km de Belo Horizonte. É famosa por sua arquitetura colonial, suas igrejas barrocas e pelas montanhas e paisagens exuberantes.

Passamos um dia bem agradável, subindo e descendo ladeira. rs  O dia estava maravilhoso, aproveitei para levar minha câmera e fazer umas fotos bacanas da cidade.

IMG_8186IMG_8175 IMG_8183 IMG_8191 IMG_8200 IMG_8217 IMG_8224IMG_8218  IMG_8254 IMG_8259 IMG_8296 IMG_8303Ouro Preto é uma cidade super cultural, a foto das pessoas vestidas de trajes de época fazia parte de um evento que estava acontecendo na praça principal. Maravilhosas as paisagens, não é mesmo? Vale a pena ir passar um dia na cidade.

Um beijo gente, prometo aparecer mais por aqui!

IMG_8224

Sumi de novo daqui, velha conversa de sempre, estou sem tempo. Estava também esses dias sem mãe, minha pós está cada dia apertando mais, estou recebendo visitas em casa e meu carro quebrou essa semana. Já viu tudo né? Pensei até em parar de escrever por aqui, mas pensei melhor e vou postar quando eu […]

Leia mais



19 fevereiro 2013

IMG_4703DSC08575Já tem quase dois meses que voltei da viagem, e ainda  não terminei de contar sobre os passeios que fiz por lá. Vou terminar esta semana com o post do Paraguai, juro. São lugares tão legais, que mesmo que o tempo passe não posso deixar de mostrar para vocês essas belezas. Já contei aqui sobre Foz ( aqui) e sobre as Cataratas ( aqui).

O parque das aves foi um desses passeios magníficos e surpreendente, fomos um dia depois do réveillon, todo mundo de ressaca e cansado. Eu até pensei em ficar no hotel, o dia estava feio e chuvoso, mas para nossa sorte não choveu enquanto estávamos lá.  Abaixo o mapa do parque:

IMG_4704Lá você vê diversas especieis de aves, algumas eu nunca tinha visto na vida. Essa abaixo é  tão diferente e bonita ao mesmo tempo, não acha? Os Flamingos com suas penas em tom rose são encantadores de perto.

IMG_4749 IMG_4756

Qual o motivo de ficar tão encantada?

Quando chegamos lá parece ser um simples parque ou um Zoológico de aves. O diferencial é que quem fica preso somos nós. Vou explicar, lá entramos no meio de uma floresta, o lugar é lindo mesmo, e para passar  de um ambiente para o outro existem essas jaulas gigante para humanos. Os animais ficam em seu habitar natural, tudo bem que eles não podem sair de lá, mas ficam em ambiente gigantes. E no habitar deles só pode entrar determinado número de pessoas, então ficamos esperando a nossa vez nessas jaulas.

IMG_4765IMG_4807IMG_4772Quando entramos ficamos do lados dos bichinhos, sem nenhuma grade entre nós. É uma experiência incrível ! Podemos passar até a mão neles, se eles permitirem, é claro. Você conseguem ver na foto abaixo uma ave parecida com uma galinha no quanto à direita? Pois é, levei duas bicadas dela no tornozelo. rs Acho que ela não gostou muito da gente, saímos correndo desse ambiente e ela correndo atrás de nós. rs Bicho maluco viu!  
IMG_4775

Esses tucanos parecem até de mentira, mas eram de verdade. rs Eles já estão super acostumados com os humanos, mas claro que precisamos ter um certo respeito com os animais. No dia soubemos de uma mulher que levou uma bicada no olho!  #medo
Mas não ache que o lugar é perigoso, não é,  como disse só temos que respeitar o espaço deles.

IMG_4817 IMG_4848*Borboleta e Beija-Flores 

Um dos lugares fascinantes, era o viveiro das borboletas e Beija-flores. Imagina um monte deles? Tinha borboleta de todas as cores, mas como o dia estava chuvoso elas estavam recolhidas nas árvores.

IMG_4875 IMG_4878 IMG_4883

Consegue ver elas recolhidas nesta árvore? Eu sou apaixonada por essa foto. IMG_4884

*Viveiro das ArarasIMG_4909 IMG_4914

Tinha uns papagaios no meio também, acho que eles convivem bem. rs Tinha araras de todas as cores, voando e gritando por todos os lados. Elas não são NADA silenciosas. IMG_4919-001 IMG_4926
IMG_4956 IMG_4957
Um lugar realmente maravilhoso para se conhecer e uma experiência inusitada. Dá até vontade de morar num lugar com tanto verde, minha amiga quase ficou por lá. Como estávamos em grupos, tínhamos um horário para voltar para o ônibus, e por isso, passamos rápido por alguns viveiros. Eu passaria o dia passeando no parque, então se você for para Foz reserve um dia só para o parque das aves.

O preço por pessoa é 20 reais, metade para quem tem carteirinha de estudante. Mais informações no site. Vale a pena demais o passeio, super indico!

Já tem quase dois meses que voltei da viagem, e ainda  não terminei de contar sobre os passeios que fiz por lá. Vou terminar esta semana com o post do Paraguai, juro. São lugares tão legais, que mesmo que o tempo passe não posso deixar de mostrar para vocês essas belezas. Já contei aqui sobre […]

Leia mais



12 julho 2012

Conheci o Rio de Janeiro no final de 2010, passei só três dias , tempo suficiente para me apaixonar pela cidade. Mas o que marcou a viagem, com certeza, foi o albergue que nós ficamos. Nunca tinha ficado em nada parecido. A história foi que decidimos  viajar de última hora e o hotel onde meus pais iriam ficar não tinha mais quartos. Então para ficarmos perto deles, descobrimos um albergue a alguns quarteirões do hotel.

O Stone Of a Beach é um hostel  super bem localizado,  há dois quarteirões da praia de Copacabana. Lá há quartos femininos, mistos e privativos. Os quartos femininos e mistos são muito mais em conta, como éramos seis mulheres pegamos um feminino. Tem que ser muito moderno e aventureiro para pegar um quarto misto com pessoas que você nunca viu na vida.  Para quem nunca ficou em um albergue, como nós, no começo é tudo muito estranho. A primeira coisa que estranhamos foi o banheiro, ele era coletivo, pequeno e privacidade zero.  O chuveiro era quase em cima da privada, literalmente, o espaço é muito pequeno e só possui uma portinha de madeira. Imagina a cena você tomando banho e um gringo que você nunca viu na vida escovando os dentes do seu lado praticamente. rs Muito esquisito e engraçado.

Comédia  mesmo foi quando chegamos lá, já era tarde da noite. Na portaria os recepcionistas tinham  dreads, estilo sou paz e amor e vivo na praia. O pior que eles também estavam estranhando a gente lá, quatro jovens, com duas tias e meus pais neuróticos. De longe esse é o público que frequenta . hahaha

Já no outro dia estávamos super familiarizadas com nosso albergue, lá é uma ótima oportunidade de conhecer gente diferente. Já simpatizamos com os gringos no banheiro, sempre cumprimentando numa língua que nem tínhamos ideia de onde era. Na primeira noite saímos para comer no calçadão e voltamos para dormir. No outro dia os recepcionistas perguntaram por que a gente não tinha ido à boate. Boate como assim? Vocês acreditam que tinha uma boate no albergue, debaixo do nosso quarto e nós não escutamos nada? Então na segunda noite lá fomos nós, era no subsolo, tipo no porão. A boate era alternativa, com pessoas de todos os tipos, quem é do albergue tem desconto. Dançamos Michel Jackson e outros remakes e quando cansamos subimos a escada e fomos dormir. rs

No Stone tem internet Wi-fi e alguns computadores comunitários, há uma sala de televisão que parece um cinema, tem um terraço charmoso com piscina onde à noite vendem drinks e onde também é o café da manhã. No final amamos a nossa experiência no albergue e desde então fazemos planos para voltar.

Café da manhã todo nutritivo, com frutas, iogurte e granola. 

Para quem se interessou:

Stone of a Beach  

Endereço:

Rua Barata Ribeiro, 111 – Copacabana Rio de Janeiro – RJ – Brasil
Telefone: (0xx21) 3209-0348
E-mail:
bookings@stoneofabeach.com.br

Não sei se os preços estão atualizados, mas foi o que encontrei na internet:

Diária em quarto coletivo (Baixa e alta temporada, respectivamente, em quarto com 18 camas): R$ 25 e R$ 40*
Diária em quarto coletivo (Baixa e alta temporada, respectivamente, em quarto com banheiro e 6 camas):      R$ 39 e R$ 49*
Diária em quarto privativo/duplo (Baixa e alta temporada, respectivamente):  R$ 120 e R$ 140

*Preços por pessoa

Eles tinham um site, mas parece que está desativado.

Essa semana teremos mais posts sobre o Rio, aguarde.

Conheci o Rio de Janeiro no final de 2010, passei só três dias , tempo suficiente para me apaixonar pela cidade. Mas o que marcou a viagem, com certeza, foi o albergue que nós ficamos. Nunca tinha ficado em nada parecido. A história foi que decidimos  viajar de última hora e o hotel onde meus […]

Leia mais