28 setembro 2016

WhatsApp Image 2016-09-28 at 19.22.43

Sinceridade é uma atitude linda. O mundo, com toda certeza, precisa de mais pessoas sinceras. Porém, em alguns momentos a sinceridade doí. Doí porque nunca estamos preparados para as verdades nuas e cruas. É aquele papo que “mentiras sinceras me interessam”. E no caso do amor, como interessam viu? Mentimos o tempo todo para nós mesmos. “Não gosto mais, já esqueci”, “Ah não estava tão afim”. É difícil usar a sinceridade contra o nosso próprio ego.  Assumir que ele preferiu a outra, que o sentimento não foi recíproco, doí. Não há nada que nos faça contornar tal situação, apenas aceitar.

Agora imagina com o outro? Sempre soltei minha verdade, muitas vezes, de forma imatura. Para machucar, ofender ou me ver por cima. “Sou sincera, me engula assim”. Hoje, a vida me ensinou a tomar mais cuidado, a usar a delicadeza em certas ocasiões onde a verdade precisa ser dita. Nada de enganar ninguém, mas jogar limpo. Mulheres gostam de serem bajuladas, homens gostam de sumir sem dar explicação.  E, às vezes, uma simples conversa, com a bela e velha dose de sinceridade, resolve muita coisa.

Um dia desses, uma pessoa que já conhecia algum tempo começou a curtir minhas fotos –paquera dos tempos modernos- e um dia me chamou para conversar. Papo agradável e interessante. Era nítido o seu interesse. Podia enrolar naquela conversa, ter alguém afim de você por perto sempre aumenta a autoestima, mas achei melhor ser sincera. Como adulto, ele entendeu. Agradeceu a minha sinceridade. Achei tão estranho a sua frase “obrigada por ser sincera”, deve ser que ela –a sinceridade- realmente esteja em falta nos jogos da conquista.

Outro dia, uma amiga me mandou uma mensagem, falando que estava pressentindo que o cara com que ela estava saindo estava distante. Uma hora depois, ela me manda o print da mensagem dele.  Ele foi direto, sincero e educado.  Tinha se apaixonado por outra. Mas sua mensagem foi tão sincera que não despertou raiva na tal amiga, apenas o entendimento. E ele ganhou o meu respeito. Como o menino que foi tão maduro a respeito da minha sinceridade. Ele ganhou minha admiração. Fiquei pensando por que todo mundo não pode ser assim?

Para quê enrolar, maltratar ou cozinhar alguém em banho maria?

Que sejamos mais sinceros sempre. Mesmo que a verdade machuque.

 

Sinceridade é uma atitude linda. O mundo, com toda certeza, precisa de mais pessoas sinceras. Porém, em alguns momentos a sinceridade doí. Doí porque nunca estamos preparados para as verdades nuas e cruas. É aquele papo que “mentiras sinceras me interessam”. E no caso do amor, como interessam viu? Mentimos o tempo todo para nós […]

Leia mais



28 setembro 2016

O meu amor por Medellín foi uma coisa inexplicável. Andar pela cidade me fazia tão bem, era algo tão libertador, que não sei por que não faço isso em BH. Deve ser o nosso espirito viajante que nos leva a fazer esse tipo de coisa. Conseguimos olhar além do nosso cotidiano em uma viagem. Andei muito, peguei muito metro e ônibus. Tanto que nos últimos dias já estava uma guia completa daquela cidade. Se tivesse coragem e não gostasse tanto da minha vida, me mudaria para lá e viveria de guia de Medellín. Então aqui vão cinco coisas que você NÃO pode deixar de fazer.

  • Dividi este post em duas parte, porque ficou enorme. rs

1-Curtir a noite no Parque Lheras
parquelheras

Só de pensar para escrever já me dá uma saudade boa desse lugar. O Paque Lheras na verdade não é um parque, acho que lá eles têm a mania de chamar alguns espaços de parque. Parque, na verdade, costuma ser uma Praça na Colômbia. Mas o pior que tem uns parques que são parques mesmo. Ahhh vai entender!

O Parque Lheras fica no bairro El Poblado, no qual fiquei hospedada,  são uns oito quarteirões que rodeiam uma praça. Nesses quarteirões há muitos restaurantes, bares e boates. Todos decorados com muito bom gosto (reparo nessas coisas e fiquei encantada). Por lá, também fica a maioria dos hostels, então tem muito gringo andando pelas ruas do Parque Lheras. As noites de sexta e sábado fervem de gente na rua. Nos outros dias da semana são mais tranquilos, mas os restaurantes e bares estão sempre abertos. Eu costumava andar por lá todos os dias de noite, adorava. O El Poblado é bem seguro também, andava com meu celular na mão sempre.

2-Andar de Metrocable
IMG_5569

Foi uma das experiências mais incríveis, fiquei realmente impressionada. Não é bem um passeio, pois o Metrocable é meio de transporte para os paisas (quem nasce em Medellín), é uma espécie de teleférico. Foi construído há dose anos, e ajuda muito a população das periferias, que assim como no Brasil, também se estalaram nos morros. O Metrocable chega a uma distância altíssima do solo, e é possível ver uma vista peculiar da cidade. Você pode descer em uma estação e andar pelo bairro, tem até um tour do grafite que parece ser bem interessante. Só é preciso ter um pouco de cuidado, pois são “favelas” e não é tão seguro assim. Faz integração com o Metro, então é bem baratinho, fica em torno de dois reais.

3-Passar um dia no Parque Arví
parquearvi

Vou contar mais detalhes sobre o parque em um próximo post, pois tenho muitas fotos bacanas de lá. Se você for passar muitos dias na cidade, eu reservaria dois dias para ir ao Parque Arví.  Um dia só é pouco, pois são três parques dentro de um. É especial para quem adora passeios na natureza, só pelas paisagens já vale a pena conhecer.

4-Experimentar o máximo de Chupa Shots que conseguir
chupashots

Olha a dica de bebum rs, mas é uma experiência realmente diferente. No El Poblado tem dois estabelecimentos dos Chupa Shots. É um lugar pequeno e fica lotado. As pessoas costumam fazer uma espécie de esquenta antes de ir para a balada. A carta de shots é gigante, impossível provar todos. Todo mundo fica em pé e toma no balcão mesmo. A música latina alta faz todo mundo dançar. E quanto mais shots você compra, mais barato fica. Uma lógica interessante.

5-Tomar um Café na Plaza Maior e conhecer o Parque de Los Pies Descalzos
piesdescalços

É chamado de Parque dos Pés Descalços, mas para mim é uma praça. Deu uma decepção quando cheguei até lá, pois esperava algo bem maior. Mas a ideia é boa e vale a pena conhecer sim. É um convite para tirar os sapatos e andar sobre a areia ou colocar os pés na água. Como o lugar é pequeno, sai andando pela redondeza e descobri a Plaza Maior. É uma praça linda, com canteiros com muitas flores, e umas poltronas confortáveis para a gente sentar e bater um papo. E ela é rodeada por muitos cafés e restaurante. Minha dica é: compre um café e sente em uma dessas poltronas na praça e observe a vida daquele lugar.

Tem mais motivos gente, muito mais. Medellín é incrível! Já já entra a Parte 2!

 

O meu amor por Medellín foi uma coisa inexplicável. Andar pela cidade me fazia tão bem, era algo tão libertador, que não sei por que não faço isso em BH. Deve ser o nosso espirito viajante que nos leva a fazer esse tipo de coisa. Conseguimos olhar além do nosso cotidiano em uma viagem. Andei […]

Leia mais



20 setembro 2016

11139960_1036715819712876_9156647994640788850_nDiga sim para o inesperado, para o lugar novo, para um novo mundo ou uma nova amizade. Diga que topa experimentar uma nova comida, um passeio por aí, um novo estilo musical. Vá, sem pensar mesmo, apenas aceite os convites que a vida te faz. Até as pessoas mais desencanadas e descoladas costumam fazer sempre as mesmas coisas. É normal. Eu só peço que você diga sim.

Prove um novo sabor, mesmo que no cardápio tenha o seu preferido em promoção.  Tente pelo menos experimentar o novo, acredita em mim, ele pode ser fantástico. É um desafio dizer sim para aquilo que não nos agrada, ou para algo que seja muito diferente do que estamos acostumados. Saia da zona de conforto. Se permita mais. No mundo surgem novas ideias, sabores e sensações todos os dias. Quem sabe nessa você não descobre algo que te faça realmente feliz.

Diga sim para o que te faz sorrir. Não negue aquilo que te faz bem, vá e faça mais vezes. Temos a mania de deixar de lado até coisas que nos fazem bem. Não faça isso com você. Não deixe que a falta de companhia, falta de grana ou até mesmo o próprio desanimo te impeça de fazer. Diga sim para você mesmo. Para os seus convites e suas vontades. Mas também encontre espaço para acolher, para conhecer novos mundos através do outro , pois cada um carrega um mundo em si.

Que tal tentar? Diga que sim vai!

11139960_1036715819712876_9156647994640788850_n

Diga sim para o inesperado, para o lugar novo, para um novo mundo ou uma nova amizade. Diga que topa experimentar uma nova comida, um passeio por aí, um novo estilo musical. Vá, sem pensar mesmo, apenas aceite os convites que a vida te faz. Até as pessoas mais desencanadas e descoladas costumam fazer sempre […]

Leia mais



16 setembro 2016

Na minha viagem, graças a Deus, não passei muito perrengue. Ou como sou uma pessoa positiva, não encarei como perrengues muito grande. Uma coisa que me ajudou muito é ter uma mãe viajante, que me passou muitas dicas. Mas se você não tiver alguém próximo com experiências, aqui vão as minhas humildes dicas.

1-Pouca bagagem

Backpacker Walking on Trail --- Image by © Anthony West/Corbis

Image by © Anthony West/Corbis

Já levei uma mala bem leve, já iria viajar de Viva Colômbia (uma companhia aérea barata, que os mochileiros amam rs). E nessa companhia você pode levar só 20 kg e mais uma mochila a bordo. Fiquei 40 dias e, mesmo assim, podia ter levado menos bagagem. Gosto de moda, mas em uma viagem temos que ser práticos. E mesmo minha mala sendo leve, às vezes, era complicado andar com ela. Por exemplo, deixei de fazer uma viagem para uma cidade bem rústica, pois a calçada era de pedra e teria que subir morros com ela. ( Não fui porque estava cansada também). Por isso, os mochileiros usam aquelas mochilas gigantes, é mais fácil de carregar em algumas situações.

2-Levar uma manta sempre na mala

Alguns hostels não têm cobertores, é o caso do El Viajero em Cartagena. A cidade é muito quente e abafada. O chuveiro com água fria é uma delícia. E os quartos possuem ar-condicionado bem forte, que fica ligado durante à noite. De madrugada eu congelava. Vestia tudo que tinha de frio na mala e usava minha toalha para me cobrir. Sou muitoo frienta, mas muita gente reclamava do frio também.

3-Uma blusa de frio reforçada
pexels-photo-54206

Não sei o que deu na minha cabeça de levar só uma blusa de frio, um tricô bem quentinho, mas que não foi o suficiente para o frio de Bogotá. Sempre fui uma pessoa precavida em relação a roupa de frio, mas como queria levar pouca bagagem, acabei cometendo esse erro. Então, independente do lugar que você vá, leve uma jaqueta reforçada de frio. Nunca sabemos como será o tempo.

4- Toalhas de Secagem Rápida

Comprei na Decathlon duas tolhas de secagem rápida. Nem sabia que todo mochileiro as usam, e elas ajudaram muito. Uma usava para o banho e a outra para praia/piscina. Custaram por volta de 40 reais, e foi uma compra que valeu a pena demais. Só lembre-se de marcar com seu nome, pois todo mundo no hostel tem. Na viagem usei uma que não era a minha por engano, ainda bem que não peguei nenhuma zica. rs

5-Ter sempre comidaaa

tumblr_lsik5mJrwV1qbrb43o1_500No dia que cheguei em Bogotá estava tão frio e chovendo que não dava para sair na rua. Minha sorte foi ter um miojo na mala, foi o que me salvou naquela noite. Um dia em Cartagena também cheguei de uma festa e estava faminta, não tinha nada aberto na cidade, o jeito foi dormir com fome. rs  Hostel sempre tem cozinha, então tenha sempre algo na mala.

6-Levar alguns medicamentos do Brasil

Essa foi uma das dicas mais valiosas que minha mãe me passou,  e me salvou em alguns momentos. Em San Andrés ao me jogar de um tobogã eu cai de mau jeito no mar e machuquei a coluna. Sorte minha ter dorflex na mala, o que ajudou muito. Em Medellín fui a um festival de música e choveu muito, curti todos os shows debaixo da chuva. No mesmo dia comecei a sentir a garganta, logo que cheguei ao meu quarto tomei um Fluviral, no outro dia estava nova.

7-Comprar um chip de internet

Nem preciso dizer o tanto que isso é importante e me arrependi muito de não ter comprado. Em vários lugares eles vendem esse chip, que é pré-pago. Em Medellín meu amigo comprou um por uns 30 reais. Ele disse que a internet era muito boa. Isso teria me ajudado em muitos momentos.

8- Ter alguns dólares
05383612b9d17193cfdf55fe75a8b918

Dica fundamental, sempre tenha dólares. Meu pai me disse isso e eu não acreditei. Mas dólar é uma moeda universal e quase todo mundo aceita. Com a moeda você pode fazer qualquer negócio. Os 50 dólares que levei me salvaram de não dormir no aeroporto. rs Cheguei em Medellín de madrugada só com reais e as casas de câmbio já estavam fechada. Imaginem meu desespero? Sozinha e passando a noite em um pequeno aeroporto de uma cidade totalmente desconhecida.  Desesperador. Mas consegui trocar meus 50 dólares com um dos vigias do aeroporto e consegui pegar um táxi com esse dinheiro. rs

9-Se planeje sempre com antecedência
IMG_2595

A minha viagem foi na loucura e teve diversos perrengues, como contei (aqui). Sou uma pessoa que gosta da emoção e nunca fui muito de planejar as coisas. Mas sozinha e em uma viagem estilo mochilão, se planejar te ajuda até a economizar uma grana. Então tenha um mini roteiro com informações básicas sobre o lugar. É importante.

10-Leia sobre várias opiniões

Quando vamos viajar para um lugar a primeira coisa que fazemos é pegar informações na internet. Uma dica é:  Leia mais de uma fonte sobre os lugares que deseja ir. A opinião é algo muito pessoal e vai de pessoa para pessoa. Por exemplo, muita gente fala que Cartagena é uma cidade extremamente cara, o que na realidade não é bem assim. Depende muito do que você procura. Sim, há ótimos restaurantes, que não são baratos. Mas eu comi super bem por lá, em um lugar ao lado do hostel servia uma comida honesta por 10 mil pesos (13 reais). Então há muitas formas de se aproveitar um mesmo lugar.

 

IMG_2595

Na minha viagem, graças a Deus, não passei muito perrengue. Ou como sou uma pessoa positiva, não encarei como perrengues muito grande. Uma coisa que me ajudou muito é ter uma mãe viajante, que me passou muitas dicas. Mas se você não tiver alguém próximo com experiências, aqui vão as minhas humildes dicas. 1-Pouca bagagem […]

Leia mais



13 setembro 2016

14287715_1248650195186103_2085084985_nNão imaginei que esse dia chegaria, um ano longe de você, um ano sem te ver. Escrevendo me soa estranho, falando, mais estranho ainda. Nesta mesma data no ano passado eu já não me lembrava quem era sem você. Mas a vida nos levou pra tão longe um do outro, que hoje mal consigo me lembrar do seu cheiro, só sei que gostava dele. Trazia-me conforto e uma sensação de paz, o mundo podia estar desmoronando, mas o seu peito era meu refugio. Sempre foi assim. A semana podia estar uma droga, mas sabia que no final de semana iria te ver e tudo ficaria bem.

E aqui estou, um ano longe de você e desta sensação. No momento precisando trabalhar, me concentrar, mas o pensamento não para. Acho que hoje é o dia do último ano que mais pensei em nós. Você sabe, eu sempre evitei pensar (conversar) sobre assuntos que não me fazem bem. Foi por isso que nunca quis contato, esse é o motivo das minhas respostas frias por whatsaap, eu precisava seguir e tentar de alguma forma apagar o que vivemos. Não para sempre, pois isso é quase impossível. Mas pelo tempo suficiente de conseguir pensar em nós sem pesares. Pesar pela nossa história, ela foi tão bonita, não é mesmo? Tinha respeito, tinha admiração de sobra, tinha paixão. História de amor como a nossa deveriam ser proibidas de acabar, mas acabam.

Talvez o tempo tenha sido o nosso pior inimigo. Os muitos anos pesaram sobre as nossas costas e não conseguimos suportar. Nada está ganho nesta vida meu amor. Nada é pra sempre também.  Minha vida clamava por mudanças. Precisava me encontrar, saber de verdade quem sou. Ainda estou neste caminho, o do autoconhecimento. E posso afirmar que ele será longo.

Esse ano longe de você não foi fácil. Foi complicado demais te tirar da vida, ainda é. É péssimo pegar o telefone e não ter alguém esperando notícias. Não ter alguém para deitar ao meu lado em silêncio, e o silêncio não incomodar, muito pelo contrário, trazer paz. Quem sabe daqui uns anos nós não entendemos tudo o que nos aconteceu. Talvez culpemos a nossa imaturidade, o nosso orgulho. Quem sabe daqui uns anos nós conseguiremos sentar em uma mesa de bar e dividir nossas vidas, sem sentimentos ou ressentimentos. Apenas como duas pessoas que possuem uma história tão bonita pra contar.

14287715_1248650195186103_2085084985_n

Não imaginei que esse dia chegaria, um ano longe de você, um ano sem te ver. Escrevendo me soa estranho, falando, mais estranho ainda. Nesta mesma data no ano passado eu já não me lembrava quem era sem você. Mas a vida nos levou pra tão longe um do outro, que hoje mal consigo me […]

Leia mais



8 setembro 2016

1917017_1062704357114022_2795866800621555362_nLembro exatamente da sensação, quando me despedi da minha mãe e irmã, e entrei na sala de embarque para espera a hora do meu voo. Não era medo, por incrível que pareça, nunca fui medrosa. Sempre acredito que tudo vai dar certo. É um tipo de otimismo maluco que tenho sobre a vida. E também se acontecesse qualquer problema, pegaria um voo de volta para casa. Mas era uma sensação nova, estranha. Era eu com minha própria companhia por quarenta dias. Não conhecia ninguém no país de destino, aliás, não conhecia quase nada sobre o lugar escolhido. Foi um momento de insanidade, comprar uma passagem com apenas 15 dias de antecedência. Por outro lado, nunca fui uma pessoa planejada. Apenas vivo. Não sabia muito o que esperar e nem criei muitas expectativas, apenas fui. Ao entrar naquele avião , a sensação era um misto de curiosidade, ansiedade e liberdade. Minha vida sempre teve gente demais, nunca fui sozinha. Confesso que até tinha até certo medo da solidão. Mas naquele momento de fuga, sim fuga, minha primeira viagem sozinha foi para fugir. Precisava de ar, precisava respirar novos ares, precisava caminhar sozinha e aprender a me virar.

Cheguei de madrugada em Medellín, meu primeiro destino, a rua do meu hostel era animada, bares e pessoas se divertindo. Entrei em um quarto cheio de mulheres desconhecidas já adormecidas. Não quis fazer barulho, apenas tirei o tênis e adormeci da mesma forma que cheguei. Acordei, olhei em volta e era um quarto simpático, pessoas que nunca vi na vida ainda dormiam em camas ao meu lado. Na hora o pensamento, “O que vim fazer aqui?”, “Quarenta dias, Raíssa? Você é mesmo maluca”. Ainda perdida nos meus pensamentos, uma menina na cama ao lado para e fica me olhando. E começa a falar comigo em um espanhol bem diferente. “Desculpa, eu não te entendo”. Ela abre o sorriso e diz “Você não é daqui?”. Foi a minha primeira amiga na Colômbia. Sim, amiga, depois de um ano ainda nos falamos. Em Bogotá, no meu ultimo destino, ela me recebeu em sua casa. Ela foi o primeiro contato que tive com esse povo tão afetuoso. Neste dia aprendi um pouco sobre cumplicidade feminina. O primeiro ensinamento de muitos dessa viagem.

Viajar sozinha me trouxe tantos aprendizados fundamentais, em pouco mais de um mês aprendi lições para a vida toda. Foram conhecimentos internos e externo. Por isso, ando aconselhando as minhas amigas a fazerem o mesmo. É uma verdadeira descoberta pessoal. Descobri que apesar de estar em um lugar aonde não conheço ninguém, o que me deu a liberdade para fazer muitas coisas, eu sou fiel a minha essência. Sou fiel a quem eu sou. Há quem aproveite a oportunidade para ser outras pessoa, tentar ser outro alguém. Fazer coisas que não fariam no seu cotidiano. Não julgo. Tenho nada contra, são outras formas de descobertas pessoais. Aprendi muito sobre energia, sim, energia. Comecei a acredita mais nisso, você atraí aquilo que emana. E graças a Deus, atraí só gente do bem. Um dos aprendizados fundamentais foi sobre o mundo e sua imensidão. Foi incrível conhecer tantas realidades diferentes, tantas culturas e pessoas diferentes. Cada uma carregando consigo costumes, tradições e histórias fantásticas. Foi libertador saber que no mundo há tantas pessoas interessantes, fazendo coisas interessantes e vivendo de tantas formas. Que o mundo é bem maior que o meu “mundinho”, e que é possível ser o que a gente bem entender.

Entendi que estamos em constante evolução, e que dentro de mim há tantas, que ainda não defini de qual eu gosto mais. O caminho é longo. Extenso, e que somente eu sou responsável por essa caminhada. É necessário se perder por aí, errar ruas de uma cidade desconhecida, aprender na marra a chegar aonde se deseja. Escolher o caminho que te deixa mais feliz, como aquele que tinha a vista para o mar. Resumindo: foi a melhor e mais desafiadora experiência da minha vida, até agora.

1917017_1062704357114022_2795866800621555362_n

Lembro exatamente da sensação, quando me despedi da minha mãe e irmã, e entrei na sala de embarque para espera a hora do meu voo. Não era medo, por incrível que pareça, nunca fui medrosa. Sempre acredito que tudo vai dar certo. É um tipo de otimismo maluco que tenho sobre a vida. E também […]

Leia mais



6 setembro 2016

13062839_1017878424959384_441518796_oTem mais de um ano que abandonei este espaço, e como senti falta viu?  Neste último ano muita coisa aconteceu, e por diversas vezes, queria ter corrido para cá para compartilhar meus sentimentos e histórias. São tantas ideias, informações e casos, que eu precisava voltar.

Ando sem tempo, como sempre, nada mudou.  Agora trabalho como produtora de conteúdo para diversos blogs e empresas. Escrevo o dia todo, e voltar com o blog é escrever mais. Porém, sempre disse que escrever sem obrigação, só para botar para fora mesmo, é melhor que terapia. Durante este último ano, eu escrevi muito, só para mim.

Outro motivo também foi a vontade de eternizar as minhas viagens. Elas já são eternas em fotografias e memórias, mas escrever sobre elas, além de guardar detalhes, compartilho informações com outras pessoas. Fiz um mochilão de 40 dias pela Colômbia no ano passado, o que gerou muita curiosidade e vários amigos vieram me pedir dicas. E como a paixão por viajar (seja sozinha ou com a família, ficando em hotel ou em hostel) é tão latente ultimamente, este blog será quase um blog de viagens. QUASE.

Ainda não viajo o tanto quanto gostaria para falar somente do assunto, mas tento, pelo menos, economizar para conhecer um novo país por ano.  Este ano ainda não sei se esse plano dará certo, pois andei gastando mais do que devia, mas tudo pode acontecer! rs

A vida é imprevisível, e eu particularmente, gosto dela assim.  Também quero divulgar os meus textos sobre a vida, esses que escrevo para desabafar, quando as palavras já não cabem em mim.

A dinâmica aqui será a seguinte, toda terça entra um texto, sobre o assunto que estiver a fim de escrever, e toda quinta entra um post de viagens. Que tal?

Ah de vez em quando entra um sobre o cotidiano ou sobre alguma coisa interessante que eu vi pela internet ou de lugares novos que eu conheci em BH. Esses vão entrar em ordem aleatória por aqui.

É isso, espero que gostem dessa nova versão do blog.

Um beijo e um queijo para vocês

13062839_1017878424959384_441518796_o

Tem mais de um ano que abandonei este espaço, e como senti falta viu?  Neste último ano muita coisa aconteceu, e por diversas vezes, queria ter corrido para cá para compartilhar meus sentimentos e histórias. São tantas ideias, informações e casos, que eu precisava voltar. Ando sem tempo, como sempre, nada mudou.  Agora trabalho como […]

Leia mais



25 maio 2015

moldura-fotosOutro dia meus pais resolveram se desfazer de um quadro, guardaram a pintura e iam jogar essa moldura fora. Na hora pensei em um projeto que vi na internet, o varal de fotos. Resolvi então colocar a mão na massa e tentar fazer. Como o processo não tem segredo nenhum, deu certo. Adorei o resultado final.
IMG_4055

Materiais:
1 Moldura velha ( De graça)
2-Tinta Spray  da cor escolhida – pensei em pintar de dourado, mas achei branco mais discreto. ( Branca 10,90 / Dourada 21,00)
3-Barbante- É melhor escolher um mais grosso ( 3,00 reais)
4-Pregadores de roupas (2,50 o kit com 12 unidades)
5-Preguinhos e um Martelo
IMG_4060

Pensei em pintar os pregadores de dourado, mas da cor original achei que ficaram mais rústicos.

Mãos na massa:

Limpe a moldura, para tirar toda a poeira. Forre o chão com jornais velhos, para poder fazer bagunça e não manchar o chão. rs Agite a tinta spray e comece a pintar. Uma dica, para quem não é familiarizado com este tipo de tinta, é não pintar de muito perto. Dê uma distância, assim, a tinta espalha melhor na superfície.
IMG_4064IMG_4066Deixe secar por umas 6 horas, depois aplique mais uma vez, para dar um melhor acabamento. Corte o barbantes de tamanhos iguais. No meu quatro só deu três varais. IMG_4069Bata os preguinhos e amarre o barbante ( não fiz foto disso, mas tem segredo não né?). Aí é só colocar as fotos e os pregadores. Prontinho!
IMG_4367 IMG_4371

Coloquei umas fotos antigas que já estavam reveladas. Mas quero revelar algumas novas e em preto e branco. Acho que vai ficar bonito, tudo p&b.

Outros projetinhos:

Nova Jaqueta
4 DIY para colocar a mão na massa
Organizando Colares

beijos, beijos

IMG_4367

Outro dia meus pais resolveram se desfazer de um quadro, guardaram a pintura e iam jogar essa moldura fora. Na hora pensei em um projeto que vi na internet, o varal de fotos. Resolvi então colocar a mão na massa e tentar fazer. Como o processo não tem segredo nenhum, deu certo. Adorei o resultado […]

Leia mais



21 maio 2015

Medo é uma coisa muito pessoal. Algumas pessoas não têm medo nenhum de pular de Bungee jumping, mas possuem pavor de falar em público. Muitas vezes o medo pode te levar a uma vida limitada e privada de novas sensações, já pensou nisso?

8fc97ea27a21fb7dc6b0f2040b452ccf

Michelle mudou-se para Nova Iorque para fazer mestrado, e lá surgiu a ideia para o projeto, devido               aos seus medos em relação a cidade!

E foi avaliando suas atitudes e sentindo que não aproveitava a vida como deveria, pelo fato de possuir alguns temores, a venezuelana Michelle Poler criou um projeto pessoal, onde desafia a si mesma a enfrentar os seus maiores medos. Com o nome em inglês “100Days Without Fear” (100 Dias sem Medo, em português).

A descrição no site do projeto:

“O momento em que você percebe que quer viver a vida ao máximo . Você entende que a única coisa entre você e seus sonhos é o medo. No instante em que você decidir libertar-se de um estilo de vida limitada e começar a ter experiências reais que levarão a resultados reais”

Quando li a matéria no Hypeness, achei a ideia incrível. E como é difícil enfrentar os nossos medo não é mesmo? Fiquei pensando muito nisso, nos meus medos pessoais e como essa sensação realmente nos limita.

No projeto, Michelle encara alguns medo bobos para algumas pessoas, mas que para ela fazem a diferença, como ir ao teatro sozinha, ficar bêbada ou andar de bicicleta pela primeira vez. Ela grava tudo em vídeos curtinhos e bem divertidos e, ao final, avalia o seu medo em uma escala de antes, durante e depois.
emoji

Michelle, que nem conheço mas já considero pakas, obrigada por compartilhar essa ideia com o mundo. Me inspirou muito!

E você o que achou do projeto?

 

michelle-pole

Medo é uma coisa muito pessoal. Algumas pessoas não têm medo nenhum de pular de Bungee jumping, mas possuem pavor de falar em público. Muitas vezes o medo pode te levar a uma vida limitada e privada de novas sensações, já pensou nisso? E foi avaliando suas atitudes e sentindo que não aproveitava a vida como deveria, […]

Leia mais



19 maio 2015

Amo programas que envolvem música, até show de calouros paro para assistir. rs Acredito que muita gente curte também, já que vira e mexe surge uma nova atração com esse foco. Acompanhei a primeira edição de SuperStar, onde a banda vencedora foi a Malta. Banda muito boa, mas não conquistou meu coração. Já ontem assistindo ao programa me apaixonei por duas bandas.  Adoro bandas de pop/rock, já fui muito fã de Jota Quest e Skank. E em minha opinião, o mercado está precisando de novas bandas nestes estilos. E aí que o programa é uma ótima vitrine para descobrimos essa galera boa, que até então não fazia tanto sucesso.

Minhas queridinhas do grupo do Paulo Ricardo:

Supercombosupercombo_01

Surgiu em 2007, em Vitória (ES), mas se consolidou em São Paulo. Formada por Léo Ramos (Voz e guitarra), Carol Navarro (Baixo), Pedro Ramos (Guitarra e voz), Raul de Paula (Bateria), Paulo Vaz (Teclado e Efeitos). Muito legal uma mulher no baixo né?

Amianto é o terceiro CD lançado pelo grupo, e tem músicas tão bonitinhas. O single  “Piloto Automático” já foi visto um milhão de vezes no youtube. Os clipes são criativos e originais, assim como as canções autorais. A banda é fofa e o vocalista é muito simpático e caricato. Na minha opinião, vão longe no programa. Já estão na minha playlist!

ScaleneScalene-baixaJá é uma banda profissional e já faz muito sucesso na web, só faltavam ser conhecidos no Brasil inteiro. Eles mandam tão bem nas apresentações do programa, que ontem fizeram até a Sandy perder a compostura. rs O quarteto é formado por Gustavo Bertoni (vocal, guitarra), Tomás Bertoni (guitarra), Lucas Furtado (baixo) e Philipe Conde Nogueira (bateria e vocal). É um rock instrumentalmente pesado, não curto tanto, mas as letras das músicas me conquistaram. Essas duas músicas são mais calminhas. “Amanheceu” é linda demais, merece o clique.

Scalene nasceu em Brasília em 2008 e, por enquanto, tem dois trabalhos lançados, o EP “Scalene”; e o CD “Cromático”. Ahhh informação importante, os meninos são uns gatenhos. kkkk

Para quem nunca assistiu, o programa funciona por fases. Cada jurado tem um time de bandas. Nos próximos dois domingos os times do Thiaguinho e da Sandy, os outros jurado do SuperStar, farão suas apresentações. E já adianto, tem muita gente boa nestes times também.

Me conta, para que banda vai a sua torcida??

Scalene-baixa

Amo programas que envolvem música, até show de calouros paro para assistir. rs Acredito que muita gente curte também, já que vira e mexe surge uma nova atração com esse foco. Acompanhei a primeira edição de SuperStar, onde a banda vencedora foi a Malta. Banda muito boa, mas não conquistou meu coração. Já ontem assistindo […]

Leia mais